Dica de Profissional: Arquiteto Marcos Bertoldi

20/04/2015 04:00

Marcos Bertoldi é um profissional especializado em Arquitetura Paisagística, com escritórios em Curitiba e São Paulo. Ele é também professor em cursos de graduação e pós e todo esse conhecimento e expertise lhe rendeu diversos prêmios em concursos nacionais. Nessa entrevista do blog Maria Pia Casa com o profissional, ele fala sobre suas inspirações e mostra a criação de um projeto residencial, localizado em Curitiba, que mostra perfeitamente a harmonia entre arquitetura e paisagismo. Com espaços amplos e funcionais, o projeto também abrange a parte luminotécnica e paisagística. Saiba mais sobre as ideias desse renomado arquiteto! Conceito Não trabalhamos com estilo, estilos ficaram no passado. O único conceito que admitimos é o de contemporaneidade, fazemos projetos contemporâneos, inseridos em contextos culturais específicos e que estabeleçam um diálogo com a nossa época. O que arquitetura significa para você? A arquitetura sempre oferece a oportunidade de espelhamento de uma época, sendo reveladora do nível cultural, hábitos e grau civilizatório e de desenvolvimento de uma determinada população. A arquitetura procura uma boa harmonia com o terreno e seus arredores, minimizando o impacto na natureza. “O conceito de vida sustentável não mudou meus princípios, sempre me preocupei com esses critérios. A boa arquitetura sempre foi preservacionista”. O projeto de interiores O suporte do projeto de interiores é dado pelo espaço arquitetônico que é sublinhado pelo mobiliário e obras de arte. Cada item é analisado individualmente por sua forma, proporções, materiais, técnica, época e relevância. Buscamos uma seleção de peças que funcionasse individualmente, através de peças referenciais do mobiliário internacional e brasileiro, modernista e contemporâneo, sem perder de vista o equilíbrio e a harmonia do conjunto. A composição assimétrica do mobiliário torna o espaço fluido e dinâmico, o espaço vazio se integra ao mobiliário sem rupturas de um ambiente para o outro, num continuo movimento do olhar. Num equilíbrio entre espaços livres e ocupados. A composição é pensada a partir do movimento ou do deslocamento do usuário, sempre atentos às infinitas perspectivas geradas pelos cheios e vazios espaciais, formas, proporções, cores e texturas, de cada item incluído na composição.