Linha de móveis do designer Theo Egami com foco no conforto

07/06/2019 11:32

Cada vez mais as pessoas estão ficando em casa, seja pelo fato da internet ter possibilitado que o trabalho não tivesse mais limite físico e nem de tempo ou pela onda de violência que assola as grandes capitais brasileiras.

Porém, isso não afasta a carga emocional que o indivíduo recebe. Afinal, as responsabilidades profissionais continuam a existir, as metas precisam ser batidas e a enxurrada de informações (na maioria das vezes negativas) recebidas no dia a dia pode perfeitamente elevar ao máximo o nível de estresse.

Baseado nessa premissa, foquei o meu trabalho para 2019 na pausa, no conforto e no bem estar. Segui duas linhas de conceito: Uma foi o “ninho” no qual o sofá abraça e acolhe o seu usuário e a outra usei formas puras e uma limpeza formal, no qual o conforto se adapta ao desenho.

É interessante observar como podemos atingir o mesmo objetivo que é o de trazer o conforto ao usuário trabalhando com conceitos diferentes. Existem pessoas que querem mergulhar no sofá onde a maciez é protagonista; já outras, desejam que o sofá guie o seu sentar e este deverá ser mais firme e a postura é o grande foco.

Necessidades

Cabe ao designer entender essas necessidades de mercado e disponibilizar produtos que satisfaçam os desejos do usuário. Vale ressaltar que o designer não trabalha sozinho, ele atua em conjunto com a engenharia, setor de prototipagem, compras, comercial, fornecedores de matéria-prima, setor de modelagem e costura, serralheria, marcenaria, entre outros. Ou seja, um bom designer precisa transitar bem nessas áreas e ter um conhecimento além do desenho.

Aliás, para se chegar a um resultado final com excelência, é necessário também o emprego de tecnologia, qualidade de produção, sensibilidade, know how, experiência e muitos testes. Além do mais, o design é um trabalho que segue processos e não tem como se chegar a um resultado satisfatório sem dedicação em cada fase deles, afinal todos os detalhes são muito importantes.

Ou seja, o designer trabalha como se fosse o maestro de uma grande orquestra.

Theo Egami - Designer de Produto